Acessos

quarta-feira, 15 de abril de 2009

HUMOR: Testemunho de um ex-viciado em “Cremosinn “


Mais uma vez o centro das atenções do humor é a casa da irmã Núbia. Dessa vez o motivo dos risos é o "Cremosinn". Mas muitos devem estar se perguntando: o que é "Cremosinn"? De que é feito? Qual o preço? Como eu faço para adquirir? Calma, caros leitores, antes de explicarmos o que é o tal "Cremosinn" aconselhamos a todos que, caso queiram experimentar o produto, estejam com os bolsos cheios de dinheiro, pois o "bicho" vicia e depois do primeiro, não tem mais volta.
O "Cremosinn" é um pacote que contém um tipo especial de creme que é consumido congeladamente e é vendido pela irmã Núbia ao preço de R$ 0,50. Até aí tudo bem, quer dizer, quase, se não fosse os efeitos que têm causado na vida dos que freqüentam a calçada. Por ser um produto de fácil aquisição e também juntando-se ao fato da vendedora, Núbia, ter uma retórica extremamente convincente o negócio virou mania. Já temos depoimentos de pessoas que em menos de uma semana se tornaram dependentes cremosínicas, e o TJ, a fim de apurar os fatos, conversou com Wallace, um dos viciados:
TJ - Wallace, como você se tornou um dependente cremosínico?
Wallace - Bom, eu vi a propaganda no muro da casa de irmã Núbia, mas de início nem me interessei, contudo, a lábia dela me convenceu a experimentar meu primeiro "Cremosinn", depois disso, não teve mais volta, de repente tornei-me um viciado.
TJ - O que o "Cremosinn" tem de tão especial para você?
Wallace - Primeiro a variedade de sabores, cada um mais gostoso que o outro e depois o baixo custo que contribuiu bastante também, mas o que mais me atraiu foi o de morango, já cheguei até a comprar fiado, abri uma conta que já vai em cinco páginas, não sei mais o que fazer, estou endividado, preciso de ajuda.
Também procuramos a vendedora, Núbia, para ouvirmos a sua versão:
TJ - Irmã Núbia, o que a senhora tem a dizer sobre tudo isso?
Núbia - Eu digo amém aqui, e digo mais: comprem mais, pois a minha pretensão é abrir uma fábrica e monopolizar o mercado de "Cremosinn" no Pajuçara e adjacências, há há há há há!
Todos os fatos foram devidamente apurados pela equipe do TJ que mantém a imparcialidade em qualquer notícia. Cabe agora aos leitores formar a sua opinião em relação ao fato e responder: experimentar ou experimentar? Eis a questão.
Por: Diego Bruno

2 comentários:

D@RC!NH0 disse...

Meu irão é vendedor mas acho que ele não esta tendo lucro, por ser meu irmão o vendedor, eu não pago ae já sabe!!!
É um vicio que não prejudica ninguém, vou pegar um agora...

vanuza disse...

é muito gostoso mesmo, é por isso que vira vicio.